Aquele Lugar Especial de Nothing Beach (12/12)

Capítulo 12

Aquele Lugar Especial de Nothing Beach

 

Amissa sempre gostou do mar. Na verdade, amou-o. Era belo. Era misterioso. Era majestoso. Tinha seu lado bom, sustentando grande parte da vida na Terra. Mas também podia ser mal e destruir muitas vidas em poucos instantes. Quando mais nova, podia ficar horas observando o infinito do oceano. Mudou. E não se lembrava a última vez que parou e olhou para seu amado.

 

Por isso, quando Amissa chegou na praia, a primeira coisa que fez foi se sentar e olhar o horizonte. Reviveu a infância e adolescência.

 

As ondas. Era isso que ela mais gostava naquela praia. O jeito que vinham, delicadas, sem fazer muito barulho, sem quebrar. Relaxava de verdade, contemplando o vai e vem das ondas. Antes de chegar lá, passeou pela cidade inteira. Muitas casas abandonadas, verdadeiras ruínas. Muitas pessoas na miséria, maioria perto de 60 anos; de certa forma, também abandonadas. Encontrou uma antiga amiga de infância. Irreconhecível. Parecia ser muito mais velha do que realmente era. E tinha o cansaço expresso no rosto. A praia também estava destruída, sem manutenção. Tudo estava diferente. Tudo estava morrendo. Mas as ondas, ah, elas continuavam as mesmas.

 

Esperança.

 

Aí estava uma palavra que conhecia muito bem, mas que ignorava há muito tempo. Aos poucos, porém, ganhava nova forma, misturando-se com sua vida. Novamente.

 

Amissa entendeu toda aquela viagem por Nothing Beach. Viveu sem a presença de si mesma por tanto tempo que não se reconheceu no motorista solitário, na garçonete Jul, nas criaturas de sombras, nas roupas flutuantes e, por fim, no seu suposto filho. Mas, no fundo, todos eles faziam parte dela. A criatura sem pele era um mistério. Sentia que fazia parte dela, também, no entanto, parecia também não fazer. Era algo maior do que aquilo tudo.

 

Ela sorriu.

 

— Não adianta pensar mais nisso — sussurrou para si.

 

Ficou ali, por horas, e quando se levantou para ir embora, já escurecendo, soube que estava na hora de, finalmente, viver sua vida como ela deveria ser vivida. No presente, lembrando do passado com carinho e visando o futuro com determinação.

About the author

Nerd Esotérico

Sou minha essência, não sou o que digo que sou ou o que você diz que sou. Em minha mente egocêntrica, amo escrever, jogar videogame, ler, degustar filmes e boas comidas. Nada mais. Nada menos.
  • Definitivamente, Amissa aceitou o seu ciclo na vida e enfim vai viver da forma que sempre deveria viver: livre!