Ciclos da Existência: Nascimento e Morte Em Todas Suas Formas

“Tudo tem fluxo e refluxo, tudo tem suas marés, tudo sobe e desce, o ritmo é a compensação.”

Lei Hermética do Ritmo

 

Tudo tem seu começo. Tudo tem seu fim. A existência é composta de ciclos ininterruptos. Nascemos, crescemos e morremos. Esse é, essencialmente, o ciclo mais aparente que podemos observar. Pelo menos, atualmente. Mas os ciclos estão presentes em todos os aspectos de nossa existência. Basta observar como as coisas são.

 

Destaquei no início a Lei do Ritmo da Filosofia Hermética. Ela discute sobre a inevitável queda daquilo que está crescendo, representando, simbolicamente, o crescimento que antecede a morte. E, depois disso, cria-se um novo ciclo, com um novo nascimento, que irá crescer até cair novamente. Assim é a existência.

 

O ciclo da vida em uma de suas inúmeras representações! Há tanta beleza nesse reconhecimento!

 

Toda nossa vida é composta por inúmeros ciclos nos mais diversos aspectos dela. Quando entramos num novo relacionamento amoroso, por exemplo, estamos começando um novo ciclo. Inicialmente, crescemos nessa nova fase, mas, quando a morte inevitável se aproxima, não sabemos como lidar com ela. Na maioria das vezes, não se trata do fim do relacionamento, não, muito longe disso! Trata-se de uma nova fase, geralmente. É de conhecimento geral que o início de um amor é recheado de paixão e novidades. É uma coisa nova, brilhante, e que acende aquela chama dentro de nós. Porém, com o tempo e convivência, passamos a conhecer a pessoa mais intimamente. Assim, morre aquele brilho anterior das novidades e o fogo fica mais brando. Começa a nascer o carinho, o companheirismo, o compartilhamento dos sonhos. O problema é que muitas pessoas não enxergam os ciclos, seus começos e seus finais. E, assim, surgem as confusões. Às vezes, a pessoa fica presa no passado, lembrando-se da época em que tudo era novo, que o beijo era mais caloroso. E não aceita a nova realidade. Além desse exemplo, muitas outras coisas podem acontecer, mas, em geral, as dificuldades surgem na falta de conhecimento, ou aceitação, dos ciclos naturais de nossa existência.

 

Usei o exemplo de relacionamento amoroso porque é mais fácil de associar, pois a grande maioria já passou por alguma situação semelhante; mas os ciclos estão presentes em todos os aspectos da nossa breve vida. No ramo pessoal, profissional, nas amizades, nos planos, na natureza, no universo. As estações do ano são um claro exemplo desses ciclos. Os animais e seus instintos respondem às mudanças das estações. Isso porque há algo dentro de todos os seres vivos, nossa essência, talvez, que reconhece essa realidade. Cada dia, também, é um ciclo diferente; desde o momento que acordamos até quando vamos dormir.

 

As estações do ano representam os ciclos mais importantes da natureza da Terra. Imagine, agora, se as estações mudarem. O que aconteceria conosco? Tudo mudaria.

 

Se você parar por um instante, observar o mundo, entenderá essa incrível verdade.

 

Sabendo como os ciclos funcionam, podemos aproveitar nossas vidas ao máximo. Podemos direcionar as coisas, manipulá-las a nosso favor, realizar nossos sonhos. Traçar metas realistas, saber quando devemos mudar a abordagem, prever o fim de algo e nos anteceder. Viver de acordo com a natureza, respeitando-a, sem negar os ciclos. No exemplo do relacionamento amoroso que criei, se as duas pessoas reconhecerem os ciclos e seus finais, poderão viver sempre no controle, aceitando as mudanças e construindo um império para si; caso essa seja a vontade de ambos.

 

Não podemos negar a natureza. Devemos, na realidade, tentar nos aproximar dela. Coexistir com ela. Viver em harmonia com ela. Isso é, de certa forma, um dos fatores que nos levará a uma vida plena e, principalmente, com nossa presença real nela.

 

O ano está começando. Estamos entrando num ciclo novo. Qual os seus objetivos para esse ano? O que você tem que fazer para alcançá-los? Veja os meses, veja as semanas, veja os dias. Reconheça que o tempo que temos é uma das coisas mais importantes que existe nesse universo. E saiba que se você não tomar controle de sua vida, reconhecer os ciclos da existência, você viverá como um sonâmbulo.

 

Reconheça quem é você. Reconheça os ciclos que te rodeiam. Reconheça que o traço de seu caminho depende de você.

About the author

Nerd Esotérico

Sou minha essência, não sou o que digo que sou ou o que você diz que sou. Em minha mente egocêntrica, amo escrever, jogar videogame, ler, degustar filmes e boas comidas. Nada mais. Nada menos.
  • Ótima reflexão Nerd Esotérico. Isso é extremamente importante no viver de uma pessoa: o reconhecer as etapas de sua vida, seus ciclos. Como já conversámos antes, já comentei contigo sobre pessoas que infelizmente não conseguem enxergar essas etapas, ou no fundo não querem mudar, e acabam vivendo eternamente ou boa parte de sua vida presa nessa etapa, nesse ciclo. Um adulto ou senhor com cabeça de adolescente, mimado e cheio de anseios/medos infantis ou um jovem sem sonhos e “morto” por dentro, sem desejos e sem vontade de viver sua juventude.

    Esse novo ano, desejo felicidade para todos nós, e sim, tenho sonhos e planos que espero realizar.