Formigueiro

Nada ultrapassa as nuvens negras que envolvem, quase delicadamente, essa selva de concreto.

 

Um mundo monocromático. Sem vida. E ele, sem sucesso, tenta enxergar um pouco de cor naquelas paredes cinzas e sujas.

 

“Formigas, formigas, formigas, parecemos formigas…”

 

As ruas estão lotadas. Todas as pessoas seguem em fila, numa organização imutável, imperturbável. Ninguém fala. Estão todos de cabeça baixa, inclusive ele.

 

“Andamos em fila, todos os dias. Olho nos olhos, mas ninguém me olha nos olhos. Procuro, quase desesperadamente, por contato humano. Mas não encontro. Andamos em fila, todos os dias. Sinto os calores das pessoas ao meu redor. No entanto, estranhamente, também sinto suas friezas. Tão perto, tão longe. Andamos em fila, todos os dias. Somos parecidos com as formigas. Esbarramos uns nos outros, porém, continuamos sem olhar para trás. Andamos em fila, todos os dias. Que engraçado… Às vezes, pego-me fazendo o mesmo. Quando um olhar tenta me capturar, fujo para longe, para dentro de mim. E sigo meu caminho. Andamos em fila, todos os dias.”

 

Enquanto caminha sem parar, apenas uma pergunta ecoa infinitamente em sua cabeça.

 

“Por que somos assim?”

About the author

Nerd Esotérico

Sou minha essência, não sou o que digo que sou ou o que você diz que sou. Em minha mente egocêntrica, amo escrever, jogar videogame, ler, degustar filmes e boas comidas. Nada mais. Nada menos.

  • Cara, esse conto me lembrou um que eu li uma vez nos livros de ensino médio das minhas irmãs, uma crônica brasileira não me lembro o nome agora…
    Mas isso quer dizer basicamente como a humanidade está condicionada a seguir o padrão, a ir com a opinião dos outros, povo muito “Maria vai com as outras”, sem personalidade e sem caráter. Preferem usar máscaras e ter uma personalidade padrão para agradar a todos do que ser eles mesmos.