Review: O Justiceiro (2017)

E finalmente temos nossa análise da mais recente série baseada nos quadrinhos da editora Marvel: O Justiceiro (Marvel’s The Punisher). Confira conosco e embarque nessa jornada repleta de tiroteio e sangue do anti-herói mais badass da Marvel!

O Justiceiro (Punisher) é um ex-oficial da Marinha Americana, expert em combate corpo-a-corpo, armas de fogo, armas brancas, tortura, táticas de guerrilha, etc. Francis “Frank” Castle foi criado pelo escritor Gerry Conway e os artistas John Romita Sr. e Ross Andru, e sua primeira aparição foi em  The Amazing Spider-Man #129 (1974).

Agora vamos para nossa análise, falando da obra original nos quadrinhos e em seguida como foi apresentado na série. Cuidado! Pode ter SPOILERS para quem não assistiu toda série ainda!

Origem

Na esquerda, capa da hq em que o Justiceiro aparece pela primeira vez. Na direita, a luta entre ele e o Homem-Aranha

A primeira vez que o Justiceiro dá as caras na editora Marvel foi como um vilão do Homem-Aranha. Calma! Vou explicar: manipulado pelo vilão Chacal, Frank aparece em Nova Iorque para eliminar a “ameaça” Homem-Aranha, que estava sendo acusado de ter assassinado Norman Osborn. Ao descobrir os reais interesses do Chacal, ele e o Aranha o derrotam. Nessa primeira história não é revelado muito do anti-herói (que foi criado apenas para ser um personagem secundário, mas devido ao sucesso que o personagem fez, decidiram dar uma série própria), fato que iria ser mostrado com história futuras. Frank Castle (nome de nascimento era Francis Castiglione) vem de família italiana e católica, o estopim da bomba em sua vida é a morte de sua esposa e dois filhos no Central Park de Nova Iorque depois de testemunharem um assassinato.  A partir dai, o veterano de guerra parte numa busca incansável e sem fim contra qualquer criminoso usando de todo tipo de estratégia e tática que lhe é disponível, ficando conhecido como o Justiceiro.

No Universo Cinematográfico Marvel, Frank aparece primeiro na segunda temporada da série Demolidor (2016). Ele é apresentado como um anti-herói violento que em certos momentos entra em confronto com o Demolidor por causa dos ideais diferentes. Em sua própria série, nos é mostrado mais a fundo do seu passado, seu tempo atuando como fuzileiro, seus antigos amigos (ou inimigos…) e sua dor pela perda da família, que aqui é assassinada em sua própria casa a mando de mafiosos no meio do governo (os motivos e os líderes são apresentados claramente no decorrer da série). No inicio dos episódios, Frank está vivendo como Pete Castiglione (aqui uma referência aos quadrinhos ao seu nome de batismo e também talvez uma referência a Peter Parker, em sua primeira aparição também nos quadrinhos), nome que ele adota para tentar viver uma vida normal trabalhando em obras de construção civil. Mas a tentativa de levar uma vida normal não dura muito…

Principais Personagens

Frank Castle,  o Justiceiro, interpretado pelo ator Jon Bernthal, brilha na série. Enquanto na segunda temporada de Demolidor nos é mostrado somente o lado Justiceiro, aqui a série nos apresenta também o lado “humano” de Castle: um homem com senso de honra, de amizades sinceras e com uma profunda dor pela tragédia de sua família. Se mantendo como um “fantasma”, Castle tenta viver no silêncio após os eventos que o envolveram em Demolidor e todos pensam que “Frank Castle está morto.” No decorrer da série é mostrado mais da família e passado de Castle, assim como alguns dos pouquíssimos amigos que ele tem. Com ótimas cenas de tiroteios, lutas corporais, surtos de fúria, tortura, entre outros, o Justiceiro foi retratado muito bem aqui, assim como seu lado humano (ele até lê Moby Dick!). O Justiceiro não tem nenhum superpoder, mas ele é um ex fuzileiro, expert em armas de fogo, armas brancas, combate corporal e o melhor de tudo: tem uma sede de vingança e fúria contra todo tipo de crime e criminoso…

David Linus Lieberman, o Microchip, tem um profundo conhecimento de informática e usou suas habilidades para se tornar um hacker famoso conhecido como Microchip, dando golpes e ataques pela internet. Ainda na faculdade, conheceu e se apaixonou por Jan O’Reilly, que logo em seguida se tornaria sua esposa e teriam um filho, Louis Frohike. Após ser quase pego em um de seus ataques, Jan descobre que seu marido era o Microchip e o abandona, este mantém a família com ajuda financeira, porém escondido para não ser pego pelo governo e empresas. Na série, o ator Ebon Moss-Bachrach entrega um ótimo personagem que precisou fugir e fingir sua morte para manter sua família (na série sua esposa é Sarah Lieberman e eles tem um casal de filhos) em segurança por causa de um vídeo que ele vazou mostrando “podres” da CIA. A relação de amizade dele com Castle é muito bem desenvolvida no decorrer da série: um inicio conturbado com Castle torturando Lieberman duvidando das intenções dele até chegar um ponto dos dois conversando, rindo e Lieberman bêbado falando de bundas e pênis (eu ri muito dessa cena!).

Billy Russo cresceu nas ruas entrando no mundo do crime desde jovem e se tornou um excelente matador de aluguel, especialista em armas de fogo e facas. Sendo conhecido como o Belo por causa de seu carisma, classe e rosto, ele é contratado por uma das organizações inimigas de Castle (que tinha ligação direta com a morte de sua família), para dar um fim no Justiceiro. O resultado é que o Belo ganha um rosto totalmente desfigurado por Castle ter forçado seu rosto numa vidraça, e ter deixado-o vivo para sempre se lembrar disso. A partir de então, Billy Russo, o agora ex-Belo, se auto intitula Retalho (Jigsaw no original) e vira inimigo declarado do Justiceiro. Na série, Billy Russo foi interpretado por Ben Barnes que entregou de forma satisfatória um homem falso, interesseiro e que faz tudo pelos seus objetivos, e claro, muito vaidoso fazendo jus ao apelido Belo. Russo e Castle são amigos da época do exército e tem grande respeito um pelo outro (pelo menos era o que Castle pensava…). Além de ser dono da empresa de segurança Anvil, Russo tem  ligação com William Rawlins.

William Rawlins é filho de um ex-soldado americano que se tornou um dos diretores influentes da CIA na base da trapaça, enganação e demais crimes. Seguindo exatamente os mesmos passos do pai, Rawlins se torna rapidamente também um dos diretores da CIA e muito influente no meio, usando de missões secretas no exterior para acobertar operações ilícitas, em especial tráfico de drogas. Na série, o ator Paul Schulze dá vida a Rawlins, que também é conhecido como “Bill“, e a história de seu personagem é muito semelhante com a dos quadrinhos. Antes de saber o próprio nome do vilão, Castle apenas o conhecia como Agente Orange (algo que nas hqs é outro personagem menor que não tem ligação com este). O Rawlins da série é sádico, manipulador e inteligente, retratando bem o personagem dos quadrinhos.

Personagem original da série, Dinah Madani é da Segurança Nacional e tem uma certa moral com seus colegas de trabalho. Tentando descobrir os reais assassinos e o motivo pela morte de seu antigo parceiro, Ahmed Zubair, na operação em Kandahar, ela irá fazer de tudo para derrubar os culpados que estão por trás, mesmo que isso possa botar sua carreira em risco. Uma personagem que a principio demonstrava ser mimada e arrogante, aos poucos a história dela vai se desenvolvendo e mostrando que ela também é alguém que quer justiça. A atriz Amber Rose Revah interpretou muito bem a personagem.

Conclusão

O Justiceiro da Netflix teve como seu principal produtor Steve Lightfoot, que cumpriu com as expectativas de mostrar não só o lado violento do anti-herói da Marvel, mas também seu lado humano carregando um fardo de culpa e tristeza pela trágica perda, mas também o fardo de eliminar todo criminoso que ele encontrar no caminho.

A série não é nenhum mar de rosas…se você se assustou com a violência mostrada nas duas temporadas de Demolidor, pode ter certeza que aqui tem muito mais. Aqui não tem romantismo ou personagens felizes o tempo todo, o clima da série é bem pesado e triste em alguns momentos. A série tem classificação etária para maiores de 18 anos, então tire as crianças da sala caso for assistir…

Caso você curta super-heróis e/ou lê quadrinhos, é obrigação assistir a série que apresentou muito bem o personagem. A série vale a pena assistir e retratou com maestria o retorno de Frank Castle ao UCM! Ficamos por aqui, deixe nos comentários o que você achou da série e, em breve teremos mais análises!

Até a próxima pessoal!

 

 

 

 

About the author

NerdProfeta

Cristão, marvete, nintendista, fã do Foo Fighters e rpgista.

  • Ivo

    Cara, eu não consegui gostar da série. Sendo sincero mesmo! Eu achei que a série focou muito em falas, amizades, personagens secundários cia e faltou justamente AÇÃO. Não digo que não deveria ter essas coisas da amizade e cia, mas isso virou o foco principal e AÇÃO que caracteriza o personagem ficou de lado. Eu acredito que na primeira temporada deveria ser ele caçando os mafiosos e cia que mataram a família dele e a segunda ae SIM ser essa primeira. O ator é fantástico e isso tenho que admitir, mas a direção da série deixou a desejar e MUITO ao meu ver.
    Mas de qualquer forma uma ótima analise sua e mostrando os personagens na HQ. Shows!
    Grande abraço. Ivo.

    • Beleza Ivo?^
      Então, essa primeira temporada creio eu que foi mais para apresentar o personagem para quem não o conhecia mais a fundo (diga-se de passagem, a maioria das pessoas que só o viram na segunda temporada de Demolidor ou algum game, mas não o conheciam nos quadrinhos), mostrar não somente o lado “Justiceiro” dele mas também o lado “Castle”, o lado humano, com dores, sofrimento, lembranças e os motivos que o levaram a fazer o que ele faz.
      Particularmente eu gostei do que vi e não achei isso como um ponto negativo não, uma crítica minha seria mais no Billy Russo que colocaram ele como “amigo” do Frank, coisa que nos quadrinhos não é, mas tudo bem. Creio eu que em uma suposta segunda temporada, o roteiro deve focar mais no lado Justiceiro, já que esse lance do passado dele aparentemente se resolveu nessa temporada. E cara, como espero uma continuação…Justiceiro tem ótimos inimigos que podem ser usados e tudo casca grossa!
      Valeu pelo comentário Ivo!