There Is Nothing Left to Lose (1999)

E lá vamos nós de novo na jornada da discografia do Foo Fighters! E hoje iremos estar falando do terceiro álbum de estúdio dessa ótima banda liderada por Dave Grohl. Confira aqui o primeiro álbum e o segundo.

There Is Nothing Left to Lose (Não há nada a perder) é o terceiro álbum de estúdio do banda Foo Fighters lançado no final de 1999 (especificamente em 02 de novembro de 1999). O álbum foi um enorme sucesso e foi o responsável por ter “colocado” a banda nos holofotes da mídia como uma das estrelas do rock.  Também foi o primeiro álbum do Foo Fighters a ter ganhado Grammy (Oscar da música, entregue pela National Academy of Recording Arts and Sciences dos EUA), no caso foram dois que eles venceram: Melhor Álbum de Rock (Best Rock Album) e com a música Learn to Fly o prêmio de Melhor Vídeo Musical Curto (Best Short Form Music Video).

Capa do álbum There Is Nothing Left to Lose

Após a turnê de Color and the Shape ter terminado, antes mesmo de começar as gravações do terceiro álbum, Franz Stahl (guitarrista que substituiu Pat Smear em turnê) decidiu deixar a banda alegando diferenças criativas. Dave Grohl (vocal e guitarra), em conjunto com Nate Mendel (baixo) e Taylor Hawkins (bateria), resolve gravar o terceiro álbum em trio, algo que não seria novidade já que o segundo álbum também foi gravado em trio. A gravação ocorreu em um estúdio construído no porão da casa de Grohl, em Virgínia.

Da esquerda para direita: Dave Grohl, Nate Mendel e Taylor Hawkins.

O álbum teve vários sucessos entre eles: Learn to Fly (que pessoalmente foi a primeira música que escutei da banda), um sucesso absoluto com participação especial de Jack BlackKyle Gass no trailer; Breakout, um ótimo rock com Dave alternando belos vocais, a música foi trilha sonora do filme Eu, Eu mesmo e Irene (2000) e tendo participação especial da atriz Traylor Howard; Generator e Aurora com suas lindas melodias românticas (“And you dream about yourself And you bleed and breathe the air And it’s on and on…”); a inesquecível Next Year, entre outros sucessos.

Sim, a capa do álbum é o próprio pescoço do Dave!

Para a turnê do There Is Nothing Left to Lose (1999-2001), Chris Shiflett (ex-integrante do grupo No Use for a Name), entrou para a banda como segundo guitarrista, posto que ocupa até hoje.

As faixas do álbum são:

1 – Stacked Actors – 4:17
2 -Breakout – 3:21
3 – Learn to Fly – 3:58
4 – Gimme Stitches – 3:42
5 – Generator – 3:48
6 – Aurora – 5:50
7 – Live-In Skin – 3:53
8 – Next Year – 4:37
9 – Headwires – 4:38
10 – Ain’t It The Life – 4:17
11 – M.I.A – 4:03
12 – Fraternity – 3:10 (Bonus Track)

There Is Nothing Left to Lose foi produzido por Adam Kasper e a gravadora foi a RCA.

 

 

 

About the author

NerdProfeta

Cristão, marvete, nintendista, fã do Foo Fighters e rpgista.

  • Cara, vou te dizer, Foo Fighters realmente é muito bom. Tenho uma história curiosa, pois durante uma fase headbanger meu irmão e eu ouvíamos Foo Fighter em casa, adorávamos, mas escondíamos isso dos amigos metaleiros, pois era um som muito comercial, hahaha! E quando chegamos na casa dos 20 e poucos, percebemos que isso era uma tremenda besteira, e ele comprou os cds.

    Também recordo que a primeira música que ouvi foi “Monkey Wrench”, isso graças ao meu pai que costumava comprar fitas VHS com 3 a 4 horas de videoclipes que seus amigos gravavam da SKY. Mas só peguei gosto pela banda quando ouvi “Breakout” no rádio. Acho que me enquadro na mesma situação que você, hahaha!

    There Is Nothing Left to Lose é um excelente álbum, só de ler esse texto me senti compelido a colocar o álbum para ouvir no carro.

    • hahaha que história hhem Diogo! Realmente isso não tem nada a ver, o cara pode ouvir de tudo um pouco, desde que esteja lhe fazendo bem e curtindo a música! Mas te compreendo pois quando somos mais jovens costumamos tentar se enturmar no meio da galera rsrs!
      Eu na verdade, conheci o Foo neste cd, mas ainda assim ficava ouvindo outros grupos e músicas, juntamente com eles. Mas mais a frente, vou até relatar no post, eu ouvi um cd deles, cara quando eu ouvi a música inicial eu disse: “É essa banda que estive procurando, esse som que quero curtir!”, foi amor a primeira vista! xD

      • Eu senti esse “É essa banda que estive procurando, esse som que quero curtir!” ao ouvir Wait and Bleed do Slipknot pela primeira vez. Foi um impacto tão grande que fiz a burrada de tatuar o simbolo da banda nas costas de maneira caseira. Maldita adolescência, hahahaha!

        Bem, o importante é a paixão pela musica no final das contas. Gosto muito desse tema, mas notei que é pouco abordado em alguns sites e blogs. Eu cheguei a abordar em meu site umas três bandas durante esses 6 anos de vida, mas atraiu muito pouca a atenção dos meus leitores. Uma pena.

        Galera hoje em dia gosta mais de funk, não aprecia a boa musica,haha!

        • kkkkk! Cara minha primeira tatoo (e foi com tatuador mesmo kk) foi o símbolo do FF, iria fazer igual no pescoço do Dave, mas fiz um pouco abaixo (entre o pescoço e as costas) e maior.

          Slipknot é maneiro sim, tem muitas músicas show, o visual deles espanta a galera que não entendem o porque das máscaras!
          Me passa pelo face, na página por mensagem privada, sua logo!