Nerd Profeta na BGS10!

Fala galera! Nerd Profeta esteve presente na maior feira de games da América Latina, a Brasil Game Show, e vocês podem conferir de perto o que rolou!

A décima edição da Brasil Game Show, ou BGS, aconteceu entre os dias 11 ao 15 de outubro no Expo Center Norte em São Paulo – SP. A feira reúne vários nomes famosos no mundo dos games, assim como grandes produtoras de games e games indie com seus stands.

Local para jogar consoles, arcades, consoles retrô e até mesmo local para torneios de e-sports de games como LOL, Dota 2 e CS: GO.

Das grandes empresas de games, tinha a possibilidade de jogar até mesmo jogos que ainda não foram lançados, entre eles: Assassin’s Creed Origins, Call Of Duty: World War II, Gran Turismo Sport, LEGO Marvel Super Heroes 2, Need For Speed: Payback entre outros. As filas para jogar e se deliciar um pouco com tais games eram enormes, e não podemos esquecer de Just Dance 2018 que arrastava várias pessoas para jogar e dançar se divertindo.

Não podemos esquecer das produtoras indies que estão ganhando seu espaço no cenário gamer mundial. Entre os games de destaque podemos citar:

  • Black Irisaction rpg inspirado em sucessos como Dark Souls e Devil May Cry, desenvolvido pelo Hexa Game Studio. A protagonista se chama Iris e seu objetivo é recuperar suas memórias e descobrir o porque o mundo está infestado pela escuridão e monstros. Previsto para PC e PS4 em 2018.
  • Zall Jinn: Wrath of Elementals o game Beat ‘em up (o famoso briga de rua aqui no Brasil) tem uma belíssima arte que lembra muito anime e é produzido pelo estúdio Aiyra. Previsão de lançamento ainda este ano para PC/Mac/Linux.
  • Ozkar – game de plataforma com várias guitarras ao fundo, Ozkar é produzido pelo estúdio FlipFlop Lab e tem previsão de lançamento para 2018.
  • John The Zombie – game divertidíssimo produzido pela Minimal Lab no qual você controla John, uma pessoa normal que acabou de ser contaminado por um vírus e agora é um zumbi e você deve buscar meios para recuperar sua humanidade. O interessante do game que sua arte é inspirada no famoso game GTA. Galera do stand me atendeu super bem, super simpáticos! Previsão de lançamento ainda este ano para a Steam.

John The Zombie

  • Yokai Killer Shuten Doji – game de plataforma inspirado em Castlevania e Metroid e com uma pegada toda oriental. Um jogo interessante abordando toda a cultura japonesa desde o cenário até os inimigos, com uma mistica em torno do game. Um ótimo game que merece ser jogado! Produzido pelo estúdio Dark Paladin Studios.
  • Resonance– simpático game produzido pelo estúdio Demerara Games no qual você controla um personagem que para passar as fases você deve usar sua voz! Isso mesmo, você deve cantar no tom correto! Previsão de lançamento para Steam em breve.

A BGS 10 também teve a presença de grandes nomes do cenário gamer mundial, entre eles podemos citar Hideo Kojima, criador da aclamada série Metal Gear; Phil Spencer, chefe da divisão Xbox da Microsoft; Ed Boon, criador da série Mortal Kombat; Nolan Bushnell, fundador da Atari.

Questionado sobre qual seria seu game favorito, Kojima responde: “Essa pergunta é muito difícil. Mas é Super Mario Bros. Sem esse jogo, eu com certeza não estaria aqui.”

Já pensou um game do Kojima e Miyamoto (criador de Mario, Zelda, Donkey Kong, etc) juntos??!

No local também era possível encontrar diversas lojas vendendo produtos relacionados a games, desde de roupas, pelúcias, jogos de tabuleiros, etc. E claro, no evento o que mais se via era os famosos cosplayers, pessoas que se fantasiam como personagens de games, séries filmes, etc. E tinham vários ali com grande qualidade! Parabéns a todos eles com essa arte!

Ops…esse último não era cosplayer não…

E para finalizar, não puder deixar de entrevistar Diogo, nosso parceiro e criador do site Arquivos do Woo que esteve presente também na feira assim como a galera da equipe do canal LVL 3. Uma grande pessoa, gamer e conhecedor do mundo nerd, nos prestigiou falando um pouco da feira e do cenário gamer atual, confira:

Nerd Profeta – Então Diogo, me fale mais sobre os Arquivos do Woo: como começou? De onde vem a inspiração para o nome? O que o público pode encontrar nos Arquivos do Woo?

Arquivos do Woo – Cara, primeiramente eu queria agradecer pelo seu convite: Obrigado!

A história do site é até interessante, pois eu comecei a escrever na internet quando criei blog sobre retrogames, o New Old Players. Na época estava em alta, existia milhares de blogs retro espalhados pela blogosfera. Aí fiquei de saco cheio e decidi criar um blog onde podia abordar assuntos diversos de um modo informal. Sem querer abordar de forma técnica e cheia de firula. Assim nasceu o Arquivos do Woo.

O nome do site surgiu com a ideia de arquivar minhas opiniões, hahaha! Parece bobo, reconheço. Quanto ao “Woo” veio do pseudônimo que adotei quando comecei na internet: Cyber Woo, que é um personagens de King of Monsters 2 do Super Nes, que é um dos meus jogos favoritos da infância.

No site as pessoas encontrarão de tudo um pouco. Games, filmes, retrogames, opiniões ácidas e até sobre livros. Eu tento diversificar, mas o foco é games. Oras,  eu amo videogames.

NP – O que você está achando da décima edição da Brasil Game Show? O que mais lhe chamou a atenção durante todos esses dias do evento?

AW – Eu achei ótimo, esse ano tivemos muito mais espaço nos corredores para se locomover nos dias mais cheios. Era possível sentir o ar condicionado em algumas partes, então no quesito cozinhar aos poucos, esse ano não rolou.  Havia estandes enormes também, creio que a do Black Desert era uma das maiores do evento. A da Ubisoft também colocou uma igreja pra galera jogar Far Cry 5. Coisa linda de se ver.

De modo geral achei bem satisfatório o evento. Uma pena que não tínhamos tantas novidades em termos de jogos por lá. De tudo que eu pude jogar esse ano, os que mais chamaram a minha atenção foram; Sea of Thieves, Far Cry 5 e Black Desert Online. Esse último, apesar de eu não ser um grande fã de MMORPG, me deixou encantado. É um dos que começarei a jogar com a galera do LVL3.

NP – Ainda sobre a BGS, faltou alguma coisa no evento? Algum ponto negativo que você queira destacar?

AW – Olha, acredito que quem esteve no evento como imprensa e manteve o foco nos jogos, que foi o meu caso, tem muito pouco do que reclamar. Mas conversando com alguns dos  desenvolvedores brasileiros, ouvi que rolou um certo descaso por parte da organização e o pessoal da área indie. Isso é sempre triste de se ouvir,  por que quando você está no evento e vê que aumentou o número de expositores na área de jogos indie Br,  acaba ficando com a impressão de que o evento realmente se importa com o mercado brasileiro de jogos, mas na prática, ao ouvir esse tipo de coisa, percebe-se que a realidade é bem diferente. Torço e espero que isso mude nas próximas edições, que a organização possa valorizar e oferecer melhores condições aos desenvolvedores Br e outros expositores no evento.

NP – O que acha do mercado de games aqui no Brasil? Ele evoluiu com o passar dos anos ou ainda tem muito o que almejar?

AW – O mercado de games brasileiro aparentemente cresceu muito nos últimos anos. Hoje conseguimos encontrar alguns títulos brasileiros sendo portados para os consoles atuais, mas,  ainda basta conversar com algum desenvolvedor indie pra saber que recebe muito pouco incentivo.

Foi criado uma lenda de que jogos brasileiros são sempre inferiores, então é muito fácil ouvir comentários negativos sem a pessoa sequer ter jogado, e isso as vezes acaba afastando um pouco do público.  Me baseando nisso, posso dizer que nos dá uma pequena ideia do quão trabalhoso deve ser criar jogos no país.

Eu não posso afirmar muita coisa, exceto opinar na perspectiva de consumidor e amante de jogos, então digo que em minha opinião, o mercado brasileiro evoluiu muito em comparação aos últimos 5 anos. Empresas grandes como Sony e Microsoft tem dado atenção a esse mercado, logo isso mostra uma evolução significativa. Almejar chegar a esses grandes nomes da indústria já não parece um sonho distante, mas é um caminho árduo e uma estrada a ser ultrapassada.

NP – Finalizando,qual a sua opinião sobre as três grandes produtoras de consoles do mercado –Nintendo, Sony e Microsoft– para este final de semestre e inicio de 2018? Alguma surpresa? Alguma critica? Grandes games estão por vir?

AW – 2017 foi relativamente bom para a Sony e Microsoft, mas esse final de semestre não tenho achado tão emocionante, exceto,  talvez por alguns títulos e serviços que chegaram aos gamers. Isso me parece pouco ainda. Queremos mais. O ano 2018 tem tudo para ser muito mais promissor para ambas as produtoras. Agora, ao meu ver a Nintendo é uma das que realmente está se saindo bem esse ano com o novo console. 2018 poderá ainda ser melhor a medida que mais jogos chegarem a plataforma da Big N.

Por enquanto algumas pessoas enxergam apenas The Legend of Zelda: Breath of Wild como o carro chefe do Switch, mas em breve sairá Super Mario Odyssey, e as expectativas estão bem altas. Torço pra que a Nintendo entre de vez na briga com mais jogos  e mude as regras desses jogos focados em realismo em excesso e entupidos de cinematics.

NP – Palpite: Vencedor do GOTY (Game of the Year – Melhor jogo do ano) de 2017?

AW – Cara, não vou mentir. Eu não joguei Breath of the Wild, mas acho que ele pode levar fácil o título. Também acredito que Cuphead possa entregar nessa briga e até ser vitorioso. Pelo menos são esses os jogos que estou na torcida.

É isso ai pessoal, espero que tenham curtido e se você ainda não conhece a BGS, é hora de conhecer e ficar por dentro do cenário gamer e da maior feira de games da América Latina! E que venha a BGS11!

About the author

NerdProfeta

Cristão, marvete, nintendista, fã do Foo Fighters e rpgista.

  • Ivo

    Uma pena não ter ido no mesmo dia que vocês! Alias eu não sabia que você conhecia o Diogo hahahaha XD Mundo pequeno! Alias foi graças ao Diogo que consegui ir 1 dia na BGS.
    Espero que no próximo ano veja vocês! E ótima entrevista com o Diogo!
    Grande Abraço. Ivo!

    • Valeu Ivo, muito obrigado! Pow vamos sim, quem sabe não jogamos um partida de algum game lá? rsrs

  • Cara, eu gostei muito do evento desse ano, mesmo sem muitas novidades no quesito jogos, ainda possibilitou que pudesse conhecê-lo e conversarmos bastante. Como disse anteriormente, gostei bastante das perguntas e me senti lisonjeado por ser convidado a dar uma entrevista – Não acontece sempre, hahaha!

    Mais uma vez, muito brigado pelo convite!! Tamo junto, Victor! o/

    • Opa! Tranquilo Diogo! BGS foi boa para nós, pude conhecer novos amigos e belos games indies (só fiquei decepcionado nos arcades…não achei nenhum KOF…).
      Que fique claro aqui meus sinceros agradecimentos á você Diogo e ao site Arquivos do Woo pela parceria, que possamos continuar assim! E também agradecer a equipe do Canal LVL3 que foram super gente boa também e ótimas pessoas.

  • Sandro Vasconcelos

    Dá-lhe Woo! Ótima entrevista!